Victorino Perez Prieto

Valentín García, José Prieto, Víctor Freixanes e Silvestre Gómez na inauguração de 'Cinquenta cinco anos da liturgia em galego'. (Foto: Arquidiocese Santiago de Compostela)
star
Análise

Liturgia em galego: da ilusão à frustração

Victorino Pérez Prieto é escritor.
Un neno palestino sentado entre os cascallos dun edificio destruído, tras un ataque aéreo israelí no sur de Gaza (Foto: Abed Rahim Khatib).
star
Análise

A memória palestina em galego

Victorino Pérez Prieto é escritor.
Emilio Grandío, Manolo Dios e Victorino Pérez na presentação '¡Abajo las armas!' no verão na Corunha (Foto: Nós Diario).
star
Análise

Abaixo as armas!

Victorino Pérez Prieto é escritor.
O Papa Francisco num encontro com estudantes universitários durante a JMJ em Lisboa. (Foto: JMJ Lisboa)
star
Análise

Panfletos e padres ultras na Igreja galega

Victorino Pérez Prieto é escritor.
O líder de Vox, Santiago Abascal, durante un discurso sobre a situación da cultura no Estado español. (Foto: Gustavo Valiente / Europa Press)
star
Análise

Vox e a cultura

Victorino Pérez Prieto é escritor.
Moncho Valcarce. (Foto: Irmandade Moncho Valcarce)
star
Análise

Moncho Valcarce: Trinta anos

Victorino Pérez Prieto é escritor.
Casa da Matanza, en Padrón, onde Rosalía de Castro viviu os seus derradeiros anos. (Foto: Arxina).
star
Análise

Uma pomba de rama em rama. O viver errante de Rosalía de Castro

Victorino Pérez Prieto é escritor.
Apesar da mentalidade individualista da sociedade, temos numerosas pessoas e associações em Galiza que acolhem imigrantes (Foto: Antonio Sempere / Europa Press).
star
Análise

A acolhida dos emigrantes africanos em Galiza

O escritor Victorino Pérez analiza para 'Nós Diario' a acollida de emigrantes na Galiza.

A dominação de "sê feliz"

"O inferno são os outros?"

Ubuntu

O teólogo da involução da Igreja

Por um Natal e Aninovo... novos

Mulheres e religião

Imoralidade intolerável

"La vida no vale nada"

Victorino Perez Prieto (Foto: Eduardo Castro Ba)
star
Libros

Alén do material e do racional

Talvez hai no libro cuestións de demasiada altura académica para os coñecementos que podemos ter a maioría de nós, mais en xeral a lectura do libro resulta amena, cunha prosa ensaística que nos abre de par en par as portas a outra dimensión do saber e que procura axudarnos a ser persoas plenamente conscientes dos desafíos actuais.

8.000 milhões

'La roja' e Qatar

"As florinhas dos tojos"