mércores 27.05.2020

Portugal, país da UE com menos agressões físicas a pessoas LGBTI

Os países onde houve mais queixas por agressão física motivados pela orientação sexual ou identidade de género foram a Polónia e a Roménia.
O estudo foi revelado esta semana pela Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia (Europa Press)
O estudo foi revelado esta semana pela Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia (Europa Press)

Portugal é o país da União Europeia com menos ataques motivados pela orientação sexual ou identidade de género, aponta um estudo revelado esta semana pela Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia.

Segundo o Público de ontem, nunca houve um estudo tão amplo sobre discriminação e crimes de ódio contra pessoas LGBTI; cerca de 140 mil pessoas da UE participaram, das quais 4.294 de Portugal.

Em Portugal, 68% dos inquiridos acreditam que o preconceito e a intolerância diminuíram nos últimos cinco anos. Mesmo assim, mais de metade (57%) confessam que ainda evitam sempre ou quase sempre andar de mãos dadas nas ruas de Portugal (a média na UE é 61%).

Polónia e a Roménia  

A violência em Portugal persiste, embora a níveis inferiores aos da média: 30% afirmaram que tinham sido vítimas de assédio no ano anterior (38% na UE); 5% que tinham sofrido algum ataque físico ou sexual (11% na UE).

Os países onde houve mais queixas por agressão física motivados pela orientação sexual ou identidade de género foram a Polónia e a Roménia (ambos com 15%). Logo a seguir, surgem a Bélgica e a França (14%).

comentarios