domingo 12.07.2020
A opinión de
Nemésio Barxa
Nemésio Barxa Avogado.Experto em direito civil galego. Presidente da Irmandade dos Vinhos Galegos.

Catalunya no horizonte

Por suposto no nosso horizonte, que temos que mirar com interese, simpatía e prevenção. Do que poda ocorrer teremos...

Laiarse

NÃO. ACUSAR. Na proximidade do Dia da Patria não devemos laiarnos da desfeita que com esta nosa patria, com o povo...

Gaélico

Há poucos días minha amiga e colega Elsa Quintas obsequioume com um livro titulado A Boca Pobre  do...

Xohana Torres e Lola

No mes de março do passado ano, na recepção que a Cámara Municipal de Compostela deu á Irmandade dos...

Floreiras

Assim, em femenino, define o Dicionario da Lingua portuguesa, Porto Editora (que é o que eu emprego) “o vaso onde se...

Parece que lhes doe

A desaparição na web da Casa Branca USA do idioma castelhano, ao parecer ja reposto, ocasionou moitedume de protestos em...

Perdas

Consequencias da idade é que cada ano traze novas perdas que ja não compensas com os achádegos que a vida no seu...

Seguimos, comandante

Sou profundamente demócrata e defensor dos direitos humanos, não gosto de dictaduras de esquerdas e muito menos de...

Análise jocosa

Com o empuxe da direita carpetovetónica de sempre, a ajuda da direita emergente e impredecivel e a colaboração da...

Longa noite… de pedra

Que no melhor dos escenarios vai durar quatro anos. Por isso a noite do 25.09 não era noite para rir nem para um sorriso, era...

Rede e lazo

Nao sou sospeitoso de filias isralies nem de crenzas religiosas, mas como home de curiosidade cultural li algum dia e en alguma...

Os pactos

É como um andacio, como uma febre, o reiterado comentario sobre posibilidades de acadar um governo, nado, naturalmente, de...

Vivan las cadenas!

Viva a Lei Mordaza, viva a precarização dos direitos laborais, viva  a limitação dos direitos sociais,...

Refundação?

A XV Assembleia do BNG evidenciou que o nacionalismo segue vivo e tambem o BNG. Mas eu advertim que continuamos com os mesmos defectos...

Certezas

Há mais de cuarenta anos a UPG editou, e repartiu, um cartaz que reproduzia o retrato que a Castelao fizera Maside e que...

Insídias

Recorrentememte airéase o boato da carga negativa da UPG dentro do BNG.

Resistir

Na noite do 20D reconforva-me um poema do grande poeta portugués Manuel Alegre, que rematava dicindo : “mesmo na noite mais triste/ em tempo de servidão/ há sempre alguém que resiste/ há sempre alguém que diz não”.

O voto inútil

As enquisas som adversas. Não temos cancha nos medios informativos.

Cinismo

Imposivel comentar, e menos contestar ou apostilhar, as declarações de municipes elegidos ou proclamados nos recentes comicios. Por acima de todas uma despertou meu nojo por sarcástica e hipócrita. 

O PP agora rouba-nos o Registo Civil

O Registo Civil foi até agora, e dende a sua implantação, um registo público, dependente da Administração de Justiça, para facer constar oficialmente os feitos, actos ou circunstancias referidas ao estado civil das pessoas (identificação, nascimento, defunção, filiação, sexo, nacionalidade, adopção, matrimonio, etc.); registo único (integrado polos Registos municipais) e público no que as inscripções tenhem plena eficacia provatoria, polo que os dados relativos ao estado civil (úteis para a vida social e pública, relações sociais, entorno familiar, censo eleitoral...) debem ser recolhidos de jeito fidedigno e custodiados em arquivos oficiais.

Tambem as torturas físicas

Sintomático resulta que a "Fundación Abogacia Española", do "Consejo General de la Abogacia Española", no seu I Congresso Anual de Direitos humanos aborde de jeito monotemático o referente á prevenção dos maus tratos e da tortura e que apresente a publicação, editada pola Fundação, "Guia Practica para la abogacia" de actuação fronte as torturas, maus tratos inhumanos ou degradantes.

Elites

Meu prezado Xosé Manuel Piñeiro: Sou um seguro, antergo e continuado seguidor teu. Desfruto com a tua atividade e respeto tua coerencia. Como tal não podia ignorar a entrevista que aparece na última pagina do “Sermos...” de esta semana.

Meu afilhado Eduardo Blanco Amor

Inverno do ano 1968. Nascera facia poucos meses a Agrupacion Cultural Auriense; eu era o Presidente, mas todos os integrantes colabouravamos arreo para manter uma frenética actividade cultural que propiciou a celebração de eventos semanais consistentes em conferências, exposições. faladoiros, saidas a lugares relacionados com a nossa culura e historia, obradoiros, teatro, actuações musicais, cinema... 

Ficções

Onte escoitava ao Sr. Feijoo, muito convincente e fachendoso, criticar o conceito de “casta” atribuido á clase política, com a conhezida retórica, ja empregada contra Beiras, da sua origem humilde; dicia que de 24 netos do seu avó so tres puderam acudir á Universidade e, naturalmente, deixava no ar o brilhante da sua carreira política sem pertencer a crase acomodadOnte escoitava ao Sr. Feijoo, muito convincente e fachendoso, criticar o conceito de “casta” atribuido á clase política, com a conhezida retórica, ja empregada contra Beiras, da sua origem humilde; dicia que de 24 netos do seu avó so tres puderam acudir á Universidade e, naturalmente, deixava no ar o brilhante da sua carreira política sem pertencer a crase acomodada.a.

Epístola a Vitor Vaqueiro

Caro Vitor:
Somos uns ingenuos, tu e mais eu e tantos mais, entusiastas e teimudos ingenuos que, conscientes de que as forzas colonizadoras som muito mais fortes que nos, seguimos a manternos na luta, porque abandonala sería desertar do nosso povo e da nossa identidade.

Uf! Que alivio!

Dimitiu o incombustivel Sr. Ruiz Galladon. O que, pola sua atitude dogmática e retrógrada, era chamado o ministro ayatolá. Ficou aparcada a modificação á lei do aborto, herdança estrela que nos deixaria o PP com o nome do proprio Gallardón.

Não nos querem

Só nos utilizam. 

O direito a decidir semelha ser o mais democrático dos direitos, incluso se som os povos os que decidem, ou tal vez ainda mais; postura antidemocrática é a de quem impide decidir ao povo. 

A tola reforma judicial de Rajoy e do PP

Falava dias pasados noutra colabouração que a Reforma judicial não é cousa do ministro taliban Ruiz Gallardon senom do mesmo Rajoy. Hoje chega um ao convencimento de que a proposta, dependendo naturalmente da cabeza máxima que é Rajoy, é aceptada por todo o PP e alborozadamente apresentada polo ministro de Justiça.