Opinión

Sinais

[Nemésio Barxa]

Fora dos discursos e promessas que nos podam fazer desde os partidos políticos e seus tentáculos mediáticos, que se incrementaram segundo se aproximem as datas para as citas eleitorais, deveríamos ir tomando conta dos sinais que emitem na realidade. As direitas veem enviando sinais inequívocas do que pretendem, porque em definitiva eles impediriam o divorcio, mas se divorciam, desqualificarem durante anos as relações homossexuais, mas quando o sentido comum procurou seu reconhecimento, casarem entre eles; proibiram o aborto, mas quando o necessitarem marcharem a Londres a abortar porque sua economia o permitia e agora seguem a tratar de proibi-lo para os que não podem ir a Londres (recurso contra a Lei do Aborto pendente no TC). Mas quando se fala da liberação da mulher continuam mantendo uns conceitos e incluso legislação "paternalista". A direita Cristiana mantem sua intransigência e ataca a razoável apertura que o Papa Franscisco pretende para a Igreja, quem advirte da "maldição que suporia uma Igreja de coração estreito fechada á gente" porque a palavra de Deus "não fica destinada só aos justos senão a todos". Cuidemo-nos de essa direita intransigente que incluso desqualifica a um governo com maioria.

A INFORMACIÓN GALEGA ESTÁ NA TÚA MAN!

Subscríbete ao noso boletín de novas.

Date de alta de balde e recibirás unha selección dos nosos artigos para saberes o que acontece.

comentarios