Opinión

Inveja sã

[Nemésio Barxa]

Escuitei um dia dizer a Javier Sardá que ele gostaria de viver em Catalunya como um português em Portugal, que acorda pola manha com radio e TV em português, jornais em português e desde o inicio sua conversa é em português. E isso que ele vive num país governado por gente própria, que defende os direitos nacionais fronte a ingerências forâneas, p.ex. impugnando a ordem do TSJC, e sua execução, do 25% de castelhano na escola; e como alternativa aprovar, com a abrumadora maioria no Parlamento catalão de ERC, Junts, Comuns e PSOE, uma lei de imersão em língua catalã. Lembrades que neste país galego o “nosso” governo PP limitou o uso do galego na escola e deixou-o fora de determinadas matérias? E excluiu a necessidade de conhece-lo em organismos e funcionários? P. ex. no caso de Audiovisual, no que o governo catalão, opõe-se ao texto que se esquece da inclusão das línguas cooficiais e do reconhecimento dos produtores independentes que garantem em muitas ocasiões a diversidade cultural e linguística; lei cuia aprovação facilitou o PP com sua abstenção.

Bom, pois como o sábio de Calderón de la Barca, eu gostaria com recolher, de momento, os direitos e o governo de seu que Javier Sardá tem em Catalunya.

comentarios