Opinión

Ciao Ence

Ence-Elnosa já é passado. Ponte Vedra quer mirar para o futuro e é desta perspetiva que a Asociaçom pola Defesa da Ria (APDR) convoca a marcha que decorrerá no próximo domingo, 19 de junho, com saídas das alamedas de Marim e Ponte Vedra.

O monstro de Louriçám, que leva mais de meio século destruindo a nível ambiental, económico e social a Ria de Ponte Vedra, vive já agonizando e no tempo de desconto. Umha vitória que está a ponto de chegar após anos e anos de mobilizaçom social de milhares de vizinhas e vizinhos de Marcom, Verducido, Rajó, Estrivela, Marim, Combarro, Arcade, Bueu, Sam Genjo, Barro ou Ponte Vedra. Porque falar de Ence nom é só falar de poluiçom, é falarmos de luita e de resistência, é falar dum dos movimentos populares mais ativos da Galiza que desde 1987 se organiza à volta da APDR.

No entanto, até que os cheiros e os fumes de derivados do enxofre e nitrogenados que saem dos tubos da fábrica de Ence sejam história, cumpre continuar a se mobilizar e denunciar, com otimismo, mas sempre atentas às manobras de distraçom a que nos tenhem habituados a Junta da Galiza do Partido Popular e o Estado espanhol, e que fôrom entregando anos de vida ao monstro.

A anulaçom da prorrogaçom ilegal até 2073, outorgada polo governo de Mariano Rajói em 2016, quando estava em funçons, por parte da 'Audiência Nacional' espanhola e a sentença desta que manifesta que a pasteira ocupa terrenos públicos desde 2018 sem concessom e que tem que abandonar a Ria de Ponte Vedra, foi um passo mais na derrota final do monstro. Está em maos do pouco garantista Tribunal Supremo resolver os recursos da empresa de celulose, mas seria um escándalo judicial que finalmente se posicionasse ao seu favor.

Chegou a hora de deixar atrás seis décadas de dependência, de derrames de chumbo e mércurio ao mar, de sobreconsumo de água (que a fábrica obtém de graça do Leres), de destruiçom de milhares de postos de trabalho diretos e indiretos baseados no marisqueio e nas pescas, da invasom de eucaliptos nos montes galegos e da desapariçom de flora autótone, de incêndios ou de doenças provocadas polas emissons poluentes de Ence. Seis décadas desde que o capitalismo espanhol, com a inestimável colaboraçom de PSOE, PP, CCOO e UGT converteu Ponte Vedra num dos focos de contaminaçom mais importantes do nosso país.

Toca pois, com cautela, confiar em que vamos a ganhar e que mais cedo que tarde as Administraçons Públicas e a empresa comecem a preparar a desmontagem da fábrica de Louriçám, devolvendo os terrenos ao seu estado natural, tal e como manifesta a sentença da 'Audiência Nacional'. Toca-nos pois desenhar um planeamento racional e ecológico que nos permita recuperar a ria e gerar postos de trabalho que perdurem no tempo, aproveitando as nossas próprias riquezas e recursos naturais.

Porque a razom está da nossa parte, acabaremos com a presença de Ence-Elnosa em Ponte Vedra. Vemo-nos domingo às 12.00h na bonita cidade do Lérez. Ganharemos o futuro, porque é de justiça!

A INFORMACIÓN GALEGA ESTÁ NA TÚA MAN!

Subscríbete ao noso boletín de novas.

Date de alta de balde e recibirás unha selección dos nosos artigos para saberes o que acontece.

comentarios