sábado 16/10/21

Miles enchem rúas de Lisboa contra os orçamentos “da exploração e do empobrecimento”

Convocadas polo sindicato CGTP-IN, milhares de pessoas reuniram-se à porta da Assembleia da República portuguesa contra o executivo liderado por Passos Coelho e a sua proposta de orçamento de Estado para 2014.

Mobilización en Portugal
Mobilización en Portugal

'Para chumbar o orçamento do Estado”. Este foi o chamado da CGTP-IN para este 1 de novembro que secundaram milhares e milhares de persoas, que encherom as rúas próximas á Assembleia da República, onde se debater as contas do Estado para 2014.

A manifestação decorreu segundo o lema “Não ao Orçamento da Exploração e do Empobrecimento. Acabar com o roubo dos salários e dos feriados. Demitir este Governo, Eleições Antecipadas!

Arménio Carlos, secretario-geral da Confederaçao Geral dos Trabalhadores Portugueses, o protesto o orçamento contém medidas de "continuação da ofensiva exploradora e de empobrecimento dos trabalhadores e reformados e pensionistas mas, também, de outras camadas da população, para além de constituir mais um passo largo no ataque às funções sociais do Estado, aos serviços públicos e ao Poder Local Democrático".

“Assassinos, assassinos!”

“Assassinos, assassinos!”, foi a palavra de ordem gritada por cerca de 20 pessoas nas galerias reservadas aos cidadãos no Parlamento de Portugal mentres se debatiam os orçamentos. Os manifestantes, que empunharam papéis a formar a palavra “Rua” e outros cartazes — com a inscrição “carrascos do povo”, por exemplo —, gritaram ainda que “está na hora de o Governo se ir embora” e “fascistas!”.

A retirada dos protestantes foi forçada pelos agentes da PSP (Polícia de Segurança Pública) presentes e os papéis prontamente rasgados e arrancados das suas mãos, embora alguns tenham caído ou sido arremessados para o hemiciclo, junto de vários deputados.

comentarios