venres 03/12/21

Ingratitude

[Nemésio Barxa]

Um senhor venezolano apelidado Escotet recebeu para sua banca, que denominou Abanca, o maior presente que podia fazer o povo galego: o resultado de anos de trabalho convertido em aforro, traduzidos em dinheiro, imoveis, palácios, obras de arte e uma clientela fiel para seu negocio creditício. Aclarar que os galegos nem somos parvos nem pródigos e que se nos desprendemos daquela do nosso património, acumulado nas Caixas de Aforros, praticamente de grátis, não foi pola vontade popular manifestada numa renúncia consciente senão como consequência de um engano que nos provocou o nosso próprio governo galego, pessoalizado no Sr. Presidente, dom Alberte Nuñez Feijoo, que ele saberá o porquê de propiciar o espolio e de seu nojo contra o povo galego. O Sr. Escotet fixo um magnífico negócio e o que pudo haver sido a banca pública galega passou a ser uma entidade privada que segue a nutrir-se dos aforros dos galegos. O Sr. Escotet, tal vez participando do desprecio que por o galego tem seu valedor Sr. Feijoo, em vez de agradecer a Galiza sua generosidade a denigra quando funda uma Universidade privada excluindo nela o uso da língua galega como idioma veicular. Só de bem nascidos e ser agradecidos.

Ingratitude
comentarios