domingo 11/04/21

É igual Biden que Trump?

O meu ramalazo anti-imperialismo yanky é bem sabido dos que me conhecem de há tempo; por isso concordo com um colega nestas páginas em que USA não é para mim um país exemplar, governem os republicanos ou governem os democratas. Mesmo podo admitir que Biden é outro homem do stablishment como Trump; mas este é mais perigoso porque é um psicopata que teve muito poder. Aguardo que o perda de contado.

Estes dias multiplicaram-se nas páginas deste jornal os artigos sobre ambos, dizendo que nada bom podemos aguardar do novo governo da Casa Branca, nem por parte de Biden nem de Kamala Harris, pois como Barack Obama são fruto dos interesses de Wall Street e a indústria de propaganda. Para mais INRI, Kamala conta com o apoio do lobby judeu. Mesmo alguém chegou a dizer que “algo verdadeiramente sinistro está ocorrendo” e non pela postura de Trump falando de fraude eleitoral.

Não concordo. Biden-Harris não é o mesmo que Trump-Pence. Uma longa e formosa carta de Michael Moore (“Logramo-lo!”) confirmou-o, junto com outras cousas que li estes dias.

Verbo de Biden, vejo nele uma empatia e uma cordialidade de que carece totalmente Trump; e parece-me muito mais autêntico que o seu falsário predecessor. Em fim, o feito de ser um católico de raízes irlandesas também mo faz mais simpático.

Verbo de Kamala, parece que é das congressistas USA mais liberais e abertas; profundamente intercultural e interreligiosa pela sua origem e a sua história, é também uma persona crente-religiosa. A este respeito li-lhe umas declarações numa publicação francesa que me pareceram excelentes: “O Deus em quem creio é um Deus de amor que nos pede servir aos demais, sobretudo aos pobres, e falar por eles quando não podem fazê-lo por si próprios” (Reformés.ch).

Se o tandem Biden-Harris vai fazer que USA volva à mesa da mudança climática comprometendo-se claramente nesta, e cumpra outras medidas anunciadas de politica externa e interna –como a sanidade pública universal– prognostica que vai ser uma Administração muito mais progressista que a anterior. E isto é bom para todos.

comentarios