Opinión

Acampa contra a fome

Dados de há uns meses dizem que somos atualmente 7.993 milhões de pessoas no mundo; e que, segundo a FAO –contrariamente ao que se diz algumas vezes-, produzimos alimentos para 12.000 milhões. Porém, cada dia morrem de fome 24.000 pessoas e 881 milhões sofreram fome severa no passado 2021, 161 mais que o ano anterior. Pelo contrário, estragam-se 1.000 milhões de toneladas de alimentos cada ano. Esta é a sociedade e o sistema absurdo que governa o nosso mundo: o capitalismo neoliberal com a sua pseudodemocracia. Um sistema assassino, como se vê, que gasta milhões de dólares em armas e deixa morrer de fome milheiros de irmãos e irmãs.

Não é estranho que "Acampa pela paz e o direito a refúgio", no já o seu VI Encontro Internacional –que começa amanhã 9 e vai até o domingo 11-, escolhesse este ano o tema "Fome e refúgio". Muitos leitores já conhecem este Encontro que se faz anualmente nos Cantóns da Corunha, e noutros lugares do mundo.

Para os que não a conhecem, direi-lhes que Acampa é uma iniciativa cidadã sem fins de lucro, na qual participam 70 associações políticas e sociais do mais diverso; desde grupos políticos e sindicatos (BNG, Podemos, PSOE, SLG, UGT ou CCOO) e, sobretudo, grupos altermundialistas (Amnistia Internacional, Greenpeace, Médicos do Mundo, Mundo sem Guerras, Ecos do Sur, Solidariedade Galega, etc.) e sociais (coletivos sociais, culturais, educativos e vizinhais), até comunidades cristãs (Vangarda Obreira e a Comunidade do Home Novo).

Tem como objetivo a defesa dos Direitos Humanos, o Direito Internacional Humanitário e o Direito a Refúgio; promovendo a participação cidadã e a implicação nos conflitos. Fai-no cada ano, com exposições fotográficas, documentários, música, montagens, conversas e debates. Neste ano participarão –entre outros- as ativistas Vandana Shiva (indiana), Fatima Mbengue (senegalesa) e Diana Damián (mexicana), o diretor de AI Esteban Beltrán; junto com jornalistas e guionistas como Rafael Poch, Patricia Simon e Guillermo Fesser. A inauguração estará a cargo de Isabel Risco e Ricardo Sandoval o 9 às 10.30 da manhã. Uma boa ocasião para o encontro e o compromisso.

comentarios