Opinión

A nossa fe (crer o que não vemos) na justiça

[Nemésio Barxa]

Caberia a possibilidade de substituir esta Justiça espanhola por outro sistema para dirimir os conflitos particulares e defender o cumprimento das obrigas e direitos constitucionais? Porque a esta Justiça desumanizada, lenta, insegura e alongada da sociedade só lhe faltava que o que dita a sentença se declarasse em greve.

Os juízes, como vulgares proletários aos que despectivamente desacreditavam até há pouco quando acudiam à greve para reclamar seus direitos, acolhem-se ao mesmo direito constitucional para reclamar melhoras económicas; não para solicitar mais médios materiais ou pessoais ou atualização e modernização dos existentes que permitam uma maior atenção ao público em geral.

Como pode um juiz que demora mais de um ano em ditar uma sentença de mínima dificuldade exigir que se lhe incremente seu salário, que com complementos e dietas e muto mais que digno? Pensa o juiz, alem de roboticamente aplicar o texto da lei, qual pode ser a consequência humana de sua resolução ou de seu atraso? E muito especialmente, pode um juiz, desde sua alta magistratura e autoridade, constituir-se em grevista buscando benefício próprio? Por dignidade, reflexionem.

A INFORMACIÓN GALEGA ESTÁ NA TÚA MAN!

Subscríbete ao noso boletín de novas.

Date de alta de balde e recibirás unha selección dos nosos artigos para saberes o que acontece.

comentarios