xoves 15/04/21

Rapina

[Nemésio Barxa]

AIgreja católica espanhola incorreu (por suposto de boa fe) no pecado capital da Avarícia aos privilégios que gratuitamente lhe concedeu durante sua presidência o Sr. Aznar; outorgou-lhe a faculdade de que "todo lo que ves será tuyo com solo certificar tu propiedad" e mentras Cristo se resistiu ás ofertas do Maligno, sua criação terreal não resistiu a dádiva e começou a inmatricular todo quanto imóvel foi de seu interesse, catedrais, capelas, palácios, edifícios, fincas, aparcamentos, etc., sem respeitar a seu verdadeiro titular; entre esses bens muitos do Estado, dos municípios ou dos vizinhos; assim meu amigo José González me acredita por certificação como a Diocese de Ourense titula como própria a Capela dos Remédios que de sempre pertenceu aos vizinhos de Rubiás (Bande). Concelho tão pouco suspeitoso de herege, como o de Outeiro de Rei, reclama-lhe á Igreja 46 bens usurpados. O magistério da Igreja estendesse e leio nos jornais que um vizinho de Poio tambem tratou de inscrever a seu nome um edifício em Combarro, da titularidade do Estado. Lembrar-lhes que no Purgatório de Dante os penitentes eram obrigados a ajoelhar-se numa pedra e recitar os exemplos de avarícia e as virtudes opostas.

comentarios