domingo 28/02/21

Língua de serpe

[Nemésio Barxa]

Veu-me à memória quando escuitei singulares persoeiros do PSdeG criticar o BNG polas pressões para reduzir o importe das portagens da AP-9. O pacto para que o BNG votasse a favor do Governo de coaligação PSOE-Podemos implicava a contrapartida de determinadas vantagens para Galiza, entre outras a redução das portagens nas autoestradas de Audasa. O BNG cumpriu o oferecido, mas agora quem não cumpre a sua parte é o Governo. Naturalmente exige o seu cumprimento, vota em contra de uns orçamentos prejudiciais para Galiza e ameaça de mobilizações polo desapreço de que incluso permita o incremento da portagem.

O PSdeG em vez de tirar para Galiza justifica o incumprimento dos seus maiores do PSOE e além disso critica o BNG polas medidas que toma contra a falsidade de seus pactos; e tenhem o atrevimento de acusá-lo de alinhar-se com PP, Cs e Vox, quando vota autonomamente a favor de Galiza e não como ele, apêndice do PSOE, que vota o que lhe mandam até em contra dos interesses galegos. PSOE e os seus mandarins do PSdeG sim que votam com o resto das direitas a favor da monarquia (quem dissera que o PSOE derivaria monárquico), e com a mesma língua de serpe votam em Catalunya em contra do adiamento da cita eleitoral argumentando que o adiamento interessa aos partidos nacionalistas quando no consenso entram partidos tão pouco nacionalistas como o PP o Cs e os Comuns.

comentarios