martes 26/10/21

Empatia

[Nemésio Barxa]

Por observação pessoal venho comprovando como nos partidos políticos, no seu conceito de associações, é escassa a afetividade que as direções outorgam aos seus afiliados, os que sempre ficam dispostos a sair à rua, enarborar bandeiras, concorrer a manifestações ou concentrações, comparecer aos atos a que são convocados e incluso achegar óbolo económico preciso para manter o aparato, que nunca serão concelheiros no seu povo nem assessores dos cargos eleitos nem obterão trabalhos retribuídos. Em definitiva, os que sustentem o partido e os cargos orgânicos. Não é o caso da porta-voz nacional do BNG, pessoa aberta, próxima e cordial, por isso surpreendeu-me que numa entrevista, publicada em La Región, à pergunta de se o porta-voz municipal do Bloque em Ourense seria a proposta nas próximas eleições, respondeu com algo obvio é à vez indefinido, como que seriam as bases as que decidiriam, sem adiantar o seu parecer; e realmente Luís Seara merecia uma referência positiva à sua dedicação, lealdade, compromisso, eficácia e relação com a militância. Estou certo de que foi um lapsus retificável; eu asseguro, Luís, que valoro o teu bom fazer e que contarás com o meu voto.

comentarios