Opinión

Alcaldesas

[Nemésio Barxa]

O Presidente andaluz (PP) na presentação do seu novo governo justificava a incorporação de mulheres "porque las mujeres de ahora están mas preparadas", machismo ou ignorância pois ainda dentro do anonimato em que socialmente se mantinha a mulher, a historia nos identifica mulheres que destacarem em diversas matérias e no ano 1.936 o Parlamento espanhole é o  que tem mais mulheres dentro da política, incluso no governo.. Os movimentos feministas chegam com a Ilustração (sec. XVIII) que constitui uma etapa histórica de evolução global do pensamento burguês, polo que é muito mais antiga a disposição das mulheres galegas do rural, verdadeiro motor da economia e da unidade familiar, que faziam a revolução com seu próprio exemplo e que em geral seu status (fora do legal inexistente) era reconhecido polo homem, que eu pude comprovar no meu escritório quando, chegado a um acordo de varias partes (sempre homens), não se assinava sem consultar previamente á "patroa". Por isso me congratulo quando vejo à frente dos Concelhos, com políticas enraizadas no país, a mulheres empreendedoras, jovens e preparadas como Anxela Fdez. Callis em O Rosal ou Sandra Glez. Alvarez no Tominho, sem esquecer a Cristina Cid da minha vila predileta, Allariz.

A INFORMACIÓN GALEGA ESTÁ NA TÚA MAN!

Subscríbete ao noso boletín de novas.

Date de alta de balde e recibirás unha selección dos nosos artigos para saberes o que acontece.

comentarios