venres 18/06/21

Vacinas

A minha avó, a ponto de fazer 99 anos, é umha dos milhares de utentes de residências públicas que já fôrom vacinadas com a primeira dose da vacina de Pzifer contra a covid19. Até os dias de hoje, nem efeitos secundários, nem nanorrobôs, nem modificaçom do ADN… e o mais importante nem 5G! Seica vam ter que seguir pelejando para que Feijó disponibilize wi-fi gratuita na residência. Semelha que Gates nom vai cumprir as expetativas de Miguel Bose. 

Ontem era um companheiro sanitário o que me dizia que já tinha dia marcado para a vacina. E eu nom duvidarei logo que me chamem para pô-la. 

As vacinas levam mais dum século a salvar vidas. Sem elas, muitas crianças continuariam a ter a pólio, o sarampo poderia tê-las matado e teriam sido atacadas pola varíola, picando-lhes a face para sempre. Graças às vacinas, vivemos numha sociedade saudável, em que umha criança tem um milhom de possibilidades mais de sair adiante que qualquer outra geraçom da história. A da Covid19 nom será distinta.

Por desgraça, continua a haver umha parte importante da populaçom, muita enquadrada em parámetros de esquerda, que segue a duvidar de algo que tem revolucinado a saúde pública, como fazia há uns dias a ex-europarlamentar Lidia Senra.

PS: Evitem os antivacinas utilizar o manuseado argumento de que estamos do lado das multinacionais. Eu aspiro a que a futura República Galega conte com a sua farmacêutica estatal; qual será daquela argumento estrela para ser contra esta ferramenta de salvar vidas.

comentarios