xoves 28/10/21

China

Enquanto os EUA fracassam umha e outra vez nas suas políticas belicistas por todo o mundo, o último exemplo o Afeganistám, a China continua imparável o seu desenvolvimento económico e social. Irá converter-se a República Popular da China durante o 14º Plano Quinquenal na primeira potência económica mundial? Atingirá o grau de “naçom socialista completamente modernizada?” Com certeza.

Para o evitar, todo vale. De facto, o “que venhem os chineses!” é o novo “que venhem os russos!”. Assim, grande parte das notícias que se centram no país asiático contam com umha carga negativa que procura no público umha posiçom contrária, como vimos por exemplo sobre a gestom da Covid ou da eficácia das suas vacinas. 

Assi, nesta semana podíamos ler estes dous títulos de imprensa: “La voracidad de China convierte la madera en un bien de lujo” e “El Gobierno chino vacía la última presa que anegó pueblos”. No primeiro dos casos, nada terá a ver o impulso na Galiza das políticas da monocultura do eucalipto. No segundo, em plena polémica polo esvaziamento das barragens por Iberdrola, ainda vamos acreditar que a estafa elétrica é responsabilidade de Xi Jinping.

E enquanto isto acontece, a esquerda ocidental (também a galega) a debater se a China é socialista ou capitalista. Talvez conhecer os objetivos imediatos aprovados na última Assembleia Nacional Popular centrados em economia, tecnologia e meio ambiente podam dar-nos umha ideia de para onde caminha a RPC: sem dúvida, um socialismo com características chinesas. 

comentarios