Lusofonia

"O menino e o mundo", nomeado para prémios Óscares

MAIS UM ANO, ATORES NEGROS FORA DE NOMEAçõES

"O menino e o mundo", nomeado para prémios Óscares

A Academia de Artes e Ciências dos Estados Unidos, que atribui os prémios Óscares, anunciou as suas nomeações. O único filme lusófono a aparecer na lista é a animação brasileira O Menino e o Mundo, de Alê Abreu.

É a primeira vez que um filme falado em português é nomeado para o prémio de melhor animação. Noutros categorias a presença de filmes falados em português, desde 1940, não alcança a dezena. 

Sinopse: Sofrendo com a falta do pai, um menino deixa sua aldeia e descobre um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres alienígenas. Uma inusitada animação com várias técnicas artísticas que retrata as questões do mundo moderno através do olhar de uma criança. 

O diretor, Alê Abreu é também personagem no filme. Alê  Abreu desenvolveu diversos trabalhos para publicidade,como a criação e animação do personagem do “Iô-iôcrem”, as premiadas latas de leite da Nestlé, e inúmeras ilustrações para revistas, jornais e livros, clássicos como “O Mistério do Cinco Estrelas” de Marcos Rey", “Sangue Fresco”, de João Carlos Marinho e "O Menino que Espiava prá Dentro", de Ana Maria Machado 

Este longa-metragem foi o grande vencedor do Festival Internacional de Animação de Annecy, na França, considerado o melhor festival internacional de animação. O filme levou o Cristal Award, principal prémio da competição e durante o festival a animação brasileira já recebeu críticas muito positivas

Do filme diz Daniel Schenker em o Globo:

“Na contramão do exibicionismo tecnológico, Alê Abreu apresenta uma animação artesanal, dotada de poucas (e ininteligíveis) falas, que aposta na sensibilidade do espectador. O diretor (responsável ainda pelo roteiro e pela montagem) conta a história de um menino que sai pelo mundo em busca do pai em jornada que o leva a se deparar com realidades bem diferentes da sua. Criado em ambiente bucólico, em quotidiano marcado pelo ritmo contemplativo do campo, ele é confrontado com a velocidade desenfreada, a poluição visual, o consumo exagerado e os engarrafamentos do meio urbano” 

O menino e o mundo impressiona pela mistura de técnicas, incluindo colagens, carros feitos por computador (representando a desigualdade social) e mesmo imagens em estilo documentário


Bruno Carmelo do Adorocinema fala em termos bem positivos do filme: “O menino e o mundo também impressiona pela mistura de técnicas, incluindo colagens, carros feitos por computador (representando a desigualdade social) e mesmo imagens em estilo documentário, de árvores sendo cortadas em florestas. Junto da trilha sonora de cunho social, composta pelo rapper Emicida, fica evidente a notável ambição deste filme de entreter ao mesmo tempo em que estabelece uma mensagem muito clara sobre a sociedade atual. Talvez as crianças não consigam entender todas as referências históricas, mas nem precisa: a simples sensibilização às desigualdades como mensagem central já é um tema raro e precioso em meio a tantas produções que preferem martelar na cabeça dos pequenos os mesmos valores de amor familiar”

Atores negros fora de nomeações para prémios Óscares.

A  Academia ignorou, pelo segundo ano consecutivo, os atores negros. O ano passado, as nomeações já tinham dado azo a uma polémica que incluiu artigos de protesto na imprensa norte-americana e à disseminação da hashtag #Oscarsowhite nas redes sociais. É a primeira vez desde 1997 e 1998 que os atores negros são ignorados por dois anos seguidos. 

Apoia Nós Diario

Se estás lendo de balde este xornal é grazas ás máis de 3.000 persoas subscritoras. A información independente ten un prezo. Apoia un xornalismo galego e sustentábel subscribíndote a Nós Diario ou facéndote mecenas.

comentarios