sábado 18.01.2020

Comunidades em Portugal decidem arrancar eucaliptos para proteger aldeias

Duas aldeias portuguesas que estiveram ameaçadas pelo incêndio do dia 18 de junho decidiram agir para proteger suas comunidades. As mobilizações foram nas aldeias de Ferraria de São João e da Casal de São Simão, ambas no distrito de Coimbra.

Comunidades em Portugal decidem arrancar eucaliptos para proteger aldeias

Ferraria de São João, aldeia do concelho de Penela, esteve a ameaçada pelos grandes incêndios de há duas semanas que arrasaram milhares de hectares. Uma ameaça que também sentiu outra aldeia da zona, Casal de São Simão. As vizinhanças de ambas decidiram dar um passo a frente para se proteger perante a possibilidade de novos incêndios, segundo informam meios de comunicação como Jornal de Leiria e Esquerda.net.

A Ferraria de São João decidiu estabelecer uma faixa de proteção de 100 metros a redor da sua aldeia. Arrancaram os eucaliptos existentes ala e substituíram por sobreiras e carvalhos. Aliás, numa segunda fase, realizará um cadastro dos terrenos, avaliando a possibilidade de estender essa faixa até 500 metros.

Em Casal de São Simão, no concelho de Figueiró de Vinhos, pode seguir o exemplo dos seus vizinhos. Vão debater se realizam plantação de nogueiras, carvalhos, castanheiros e outras folhosas, além de manterem as terras livres para uso comunitários, sem a presença dos eucaliptos e acácias que rodeavam a aldeia.

comentarios