mércores 15.07.2020
17 entidades reintegracionistas assinam o manifesto

“Cada ano que a RAG renega dele, Carvalho é mais reconhecido”

Dezassete entidades reintegracionistas —centros sociais, meios de comunicação, associações culturais ou as escolas infantis Semente- assinam o manifesto Cada ano que a RAG renega dele, Carvalho Calero é mais reconhecido autor das Letras Galegas!
 

Ricardo Carvalho Calero. Foto: cedida.
Ricardo Carvalho Calero. Foto: cedida.

O texto critica o que denominam “censura” da Real Academia Galega sobre o intelectual ferrolão. No último plenario da instituição, 16 académicas decidiram com o seu voto dedicar o Día das Letras de 2019 a Antón Fraguas. Oito membros votaram a prol de Carvalho. Fontes próximas à presidencia afirmaram após uns dias estarem dispostas a lhe render homenagem sempre e quando se “partir dum consenso que integre todas as sensibilidades”.

“Nom com sectarismo sistemático é que se fai um país”, afirma o documento, “nem negando-se a reconhecer quem, legitimamente, pensa de maneira diferente ao que marcam os cánones autonómicos”. Os colectivos assinantes falam de “desprezo” e “silêncio cúmplice da Junta da Galiza”.

“O tecido associativo de base que durante esta década reclamou o reconhecimento oficial de Carvalho Calero nom o fijo para convencer a RAG de nada”, acrescenta o manifesto, “figemo-lo para garantir que as ideias de Carvalho, compartilhadas por importantes setores do galeguismo já muito antes da Académia existir, pudessem ser conhecidas por mais e mais galegos e galegas”.

As entidades que apoiam o texto comprometem-se a continuar a difundir a vida e a obra “dum dos grandes da história galega contemporánea, autor de umha significativa obra literária nos máis diversos géneros e destacado teórico do reintegracionismo lingüístico”.

comentarios