mércores 28/10/20
Lusofonia

aRi[t]mar e o festival Maré apresentam os projetos no Porto

No Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural intervieram Gonzalo Constenla, Uxía Senlle, Toty Sa´Med, Miguel Araújo, Graça Fonseca e Valentín García.
Uxía Senlle na apresentação.
Uxía Senlle na apresentação.

A união dos projetos aRi[t]mar e o festival Maré, na sua proposta de achega e integração da Galiza nos espaços da lusofonia, fez ontem uma apresentação no Porto.

O lugar escolhido foi Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, num ato no que intervieram Gonzalo Constenla, diretor da Escola Oficial de Idiomas de Santiago e responsável do certame aRi[t]mar; Uxía Senlle, diretora artística do Maré; Toty Sa´Med, artista angolano que abre este ano a programação do festival; o cantante português Miguel Araújo; Graça Fonseca, secretária do Agrupamento Europeo de Cooperação Transfronteiriza Galiza Norte de Portugal,e Valentín García, secretário Geral de Política Linguística.

Araújo, que interpretou alguns temas no evento, não tem só a segunda canção mais votada no certame, mas a letra ganhadora ("Catavento da Sé", de António Zambujo) é da sua autoria.

"Celebrar a irmandade"

Na súa intervenção, Constenla explicou que "o projeto aRi[t]mar Galiza e Portugal pretende celebrar a irmandade linguística luso-galaica através da popularização da música e da poesia portuguesas na Galiza, assim como destas artes galegas em Portugal, especialmente no norte do país, e em todos os países de língua portuguesa".

Isto, além do certame, traduz-se no uso "didático-pedagógico da música e da poesia" nas aulas, "cuma abordagem inovadora e motivadora no ensino".

comentarios